fbpx

Gustavo Lima, decide não fazer mais lives durante a quarentena Leave a comment

Gustavo Lima
Gustavo Lima

Em carta enviada a Gusttavo Lima e para os outros cantores do Brasil, publicada nesta quinta-feira, dia 17 de abril, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) solicitou ajustes em relação as lives junto as crianças.

No artigo, a entidade igualmente aconselha os cantores e responsáveis que estejam de olho nas atitudes que sejam prejudiciais à saúde. O uso exagerado de álcool, tabaco e outras substâncias durante as devidas lives.

Na carta que foi enviada ao musico e cantor, o instituto desponta tristeza pelo posicionamento dele de não produzir mais lives durante a quarentena.

“Ficamos imensamente tristes em saber que você decidiu não fazer mais lives durante o período de quarentena da covid-19 (…).Muita gente gostaria de continuar ouvindo sua música e vendo a performance do seu cantor favorito. Por isso, pedimos que estude com carinho sua decisão e volte a cantar e a sorrir nas casas de seus fãs.

Contudo, o cantor Gusttavo Lima, “aproveitamos para fazer um pedido a você e a todos os cantores, artistas e responsáveis que, nesse instante de pandemia, têm entrado no lar dos brasileiros”, disse o texto.

A entidade também salienta sobre a responsabilidade social dos cantores artistas nacionais de influenciar os jovens com atitudes que a população espera, sendo essas atitudes positivas e engrandeça cada ídolo.

A entidade ainda faz uma ressalva, desfavoravelmente a reprodução de atitudes inadequadas e prejudiciais à saúde, uma vez que a vocação das pessoas é aclimatar e reproduzir o atitude dos artistas.

Atualmente, os pediatras estão cada vez receosos com o auto índice da admiração e interesse dos cantores e artistas dos jovens pelo álcool.

Quando essa visão, mau hábito começa na infância, os efeitos são devastadores: enfermidades desfavoravelmente, complicações emocionais se acentuam e o futuro se torna uma vida muito complicada, com dificuldades na relação de cada um deles dentro da família e a vida social como um todo. Reforça o material enviado.

A publicação ainda segue afirmando, que ainda, que o papel de cuidar do bem-estar de crianças, jovens e adolescentes também é responsabilidade das plataformas de digital.

Segundo material enviado, essas empresas e órgãos precisam imputar-se o dever social de informar a população à audiência em geral para qual faixa etária cada conteúdo, seja ele qual for, é destinado, seja ele em forma ao vivo ou não.

Contudo, os especialistas da infância e adolescência voltam a afirmar a urgência e necessidade dos responsáveis em relação ao conteúdo da internet.. “Ainda cabe aos pais e ou responsáveis acatar o acesso das crianças àquilo que eles pertinente ou não e orientar cada vez mais sobre as consequências de condutas que sejam inadequadas”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *